8.9.11

Gregor

Há três anos, era obrigada a levantar cedo, colocar um uniforme verde e assistir aulas sobre platelmintos. Hoje tenho Kafka como leitura obrigatória. Isso sim é subir na vida.


Fico me perguntando se só eu imaginava que um dia Gregor acordava como um inseto e vivia como se nada tivesse mudado. Afinal, é assim que o livro começa:

"Numa manhã, ao despertar de sonhos inquietantes, Gregor Samsa deu por si na cama transformado num gigantesco inseto"

Não é o que acontece. Ele nem consegue se levantar, porque deixou de ser bípede e agora tem inúmeras perninhas. Também é óbvio que não continua a ir trabalhar.

Talvez seja meio trapaceira por ter terminado o livro depois da aula sobre Kafka, mas me identifico profundamente com o Gregor. Quem nunca acordou depois do horário e ficou se julgando pelo atraso, se martirizando ao mesmo tempo em que não sentia a menor vontade de levantar e começar o dia dali? Quem não a mesma dificuldade de Gregor para ficar de pé (ele acordou como um inseto emborcado), mas não era uma dificuldade física e sim psicológica? Quem nunca cansou da vida que estava levando e desejou acordar como um besouro gigante para ter razão em ficar em casa?

Kafka faz descrições geniais e fico me perguntando quantos besouros, baratas e afins ele observou para escrever esse livro. Nunca gostei tanto de um inseto.

6 comentários:

Larissa L. disse...

Ixi, Luisa, várias vezes me comportei e pensei dessa forma... infelizmente não arranjei nenhuma solução viável a não ser perder a culpa de não querer fazer uma coisa que deveria estar fazendo! Eu acho que se a gnt julgar a vida maior do que isso é o maior ganho que podemos ter...!
Mais dia menos dia, seremos insetos..! Talvez como os que Kafka descreve, talvez como a barata que Clarice Lispector descreve, mas insetos!
Beijosss

Mel disse...

Sabia que até hoje eu não tive paciência pra ler Kafka?
Não subi, ainda. Admiro quem gosta dele, acho chique (rs)!!!
beijo!

Isadora disse...

Vou ter que ler Kafka no próximo bimestre, estou super ansiosa. Mais ansiosa ainda porque tenho certeza que vou soltar um 'KafTA" na prova, você vai ver :P

Ana Lu disse...

Adorei sua análise.. Com certeza todos já nos sentimos assim, hahaha. Eu quero ler Kafka também, mas ainda não li não!
Beijos

sobrefatalismos disse...

Li A Metamorfose esse ano, junto com Carta ao Pai (de que mais gostei). Mas o fim é triste - e por isso mesmo belo. Não haveria outro, aliás.
Beijão.

Mayra disse...

Ai eu sempre quis ler Kafka. Sempre. Mas nunca tive tempo livre para ler um livro dele (acho que exige muito mais do que apenas tempo para leitura, é necessário muita reflexão). Ele deve ser GENIAL. Completamente. Não vejo a hora de lê-lo!
Quanto a descrição que fizestes a respeito do personagem do livro, só me deixou com ainda mais vontade de apreciar tão bela obra!
Acho que faculdade de jornalismo deve valer a pena só pelos livros bons que são obrigados a ler. hehehe