5.9.11

Aqui não é casa dos espíritos

Enrolada nos meus cobertores quentinhos, dormia virada para parede quando senti um braço me empurrando e ouvi um sonoro "PSIU". Abri os olhos e vi alguém no banheiro, que fica em frente a minha cama. Pisquei e não tinha mais ninguém. Já sonhei com morcegos cortantes na Litorânea, em São Luís e que o Hélio Flandres era convidado da Semana do Jornalismo, mas esse pesadelo me deixou impressionada. E outra: era pesadelo?

Já li Zíbia Gasparetto, já fui numa sessão espírita, mas não me sinto muito bem falando sobre isso. Inclusive tenho medo de escrever esse texto antes de dormir. Os livros de Isabel Allende são recheados de mulheres que podem prever o futuro, entortar colheres e fazer dançar o açucareiro. Sem contar os espíritos que aparecem em sonhos (!). A clarividência dá um charme para A Casa dos Espíritos, Paula, De amor e de sombra e outras obras da chilena. Gosto de ler essas histórias. Não gosto de sentir presenças ou aparições-relâmpago no meu banheiro. Não quero ter nada de Clara, Evangelina ou da própria Isabel. Pode ser?

7 comentários:

Larissa L. disse...

Idem!
Boa sorte aí, Luisa!
Beijos!

Carlos Massari disse...

sou tão cético que acho que, se um dia um espírito aparecer pra mim, vou gostar.

Del Santana disse...

se fosse comigo, entraria em pânico, sério.
também não me sinto bem falando sobre coisas sobrenaturais (mó medo).

tenho algumas tias espíritas, mas nunca tive coragem de ir numa sessão espírita.

Vanessa disse...

Tenho resistência com coisas sobrenaturais. Tento não me impressionar muito, ainda que eu também tenha uns sonhos bizarros. E eu preciso ler A Casa dos Espíritos, realmente preciso.

Anna Vitória disse...

Tenho medo, viu?
Ainda bem que isso nunca me aconteceu!

Mel disse...

Lú, querida, o que você tinha tomado ou comido antes de dormir?
Talvez seja sal demais na comida. (rsrsrs)
beijão!

Amanda disse...

Sou medrosa que nem tu. Um dia, assisti O exorcismo de Emily Rose. Pra quê? Passei 1 semana sem dormir direito.