5.1.11

Retrospectiva de leitura

Os livros que li em 2010

Forever princess, Na pior em Paris e em Londres, A sangue frio, O que é arte, Como escrever na rede, Por trás da entrevista, A palavra pintada, O que é ser jornalista, Jornalismo internacional, A arte de fazer um jornal diário, Jornalismo online, Jornalismo on-line: modos de fazer, Fama & anonimato, Guerra e Imprensa, Paris é uma festa, O velho e o mar, Edição e design, A feijoada que derrubou o governo, A identidade cultural na pós-modernidade, Por que as comunicações e as artes estão convergindo?, Cultura da Convergência, Jornalismo digital, Principles of Convergent Journalism, Os viúvos, Honoráveis Bandidos, Los cinco sentidos del periodista, Terra icógnita - a interface entre ciência e o público, Chabadabadá, Infografia - o design da notícia, A estrutura da notícia, Design para a internet, A ordem do discurso, Meio intelectual meio de esquerda, Só garotos.

Foram 34. Em negrito, os melhores. Nota-se a presença de muitos livros pra faculdade. Quem faz jornalismo sabe como existem tantos livros (às vezes nem técnicos) sobre a profissão e 2010 foi um ano desesperado para ler pelo menos alguma coisa sobre o tema.

O casal literário mais fofo

Mia e Michael, de Forever Princess (Meg Cabot). 

Soco no estômago

Honoráveis Bandidos (Palmério Dória). A política do Sarney é incrível.

Aquele em que chorei de soluçar
Ou "o livro mais triste que li" pra quem não costuma chorar lendo

É, nunca chorei num livro. Mas A sangue frio (Truman Capote) é um livro muito triste. Não só porque conta a história do assassinato de uma família inteira, mas a própria vida dos criminosos é tocante. Ainda mais com o envolvimento que Capote tinha com um dos assassinos.

A maior decepção do ano

Não foi lá uma grande decepção, mas eu esperava mais de Chabadabadá (Xico Sá). Ele é nordestido, tem um estilo bacana, umas referências que chegam a impressionar, mas esse livro não tem crônicas fortes, passa despercebido fácil (tirando o macho-jurubeba). Sem contar que as referências dele acabam repetitivas.

O mais chato

Principles of convergent journalism (Vários). Fui obrigada a ler esse para o estágio (fazemos discussões sobre livros). Primeiro ele ensina o que é jornalismo (acho que já sei depois de dois anos na faculdade), os princípios do jornalismo... E quando vai falar sobre convergência de meios, ele nos ensina a decupar uma fita de vídeo ou passar o áudio de um gravador para o computador. Sem essas dicas não sei o que seria de mim...

Quase morri de tanto rir!

Se duvidar, o único livro engraçadinho que eu li foi Os viúvos (Mário Prata), que tem umas tiradas muito boas. Sem falar das notas de rodapé famosas do autor.

Bate bola de personagens

Personagem masculino apaixonante: Michael Moscovitz (Forever princess).
Personagem feminina admirável: Patti Smith (Só garotos).
Personagem mais legal: Os anônimos de Fama & anonimato.
Personagem mais perturbador: Perry Smith, um dos assassinos da família de A sangue frio.
Personagem que mais me identifiquei: Não me identifiquei muito com um personagem em especial, mas com as crônicas de Meio intelectual meio de esquerda.

O melhor livro que li em 2010

Só garotos: foi o último do ano e teve um post só para ele. A história é marcante, gostei da narrativa de Patti Smith e foi uma leitura que me inspirou. A continuar sonhando com um ano em NYC, a estudar arte (?), a escutar músicas diferentes (ainda estou me entendendo com o estilo de voz da Patti).

Meme passado pela Tary.

11 comentários:

Kamilla Barcelos disse...

Sobre o recado que você me deixou no meu blog: eu ainda nunca li um livro do John Grisham. Mas, Luh, você já viu os filmes baseados nos livros dele? São ótimos! Eu já vi "A Firma" e "O Júri", sou apaixonada pelo último, o qual a Anna me deu de amigo oculto.
Tenho vontade de ler "Honoráveis Bandidos".
Eu também amei "Os Viúvos".

Tary disse...

Luh, adorei sua lista! Estou maluca por A Sangue Frio e um dia eu chego em Forever Princess, ainda estou no 5º da série. Sobre Travessuras, todo mundo ama e defendeu no post, mas vai ver é questão de gosto pessoal meu e não culpa do livro, só que não rolou mesmo, hahahhaahahhaaha!
Beijo!

Natália disse...

Parabéns pra ti, por ler 34 livros. Eu não consigo nem ler dois, uma vergonha. Beijo

Mel disse...

Adorei a lista... admiro tua persistência em estudar e ler as coisas da tua profissão. Não que eu não fosse igual a tu, mas sei que cansa! Uma hora...
Pra este ano novo desejo que tu descubra sempre muitas coisas novas - dentro e fora dos livros - que assim tu vem aqui contar pra gente, dividir com a gente e assim a gente ganha também!
super beijo, Lú.

bandofphotos disse...

Eu só li um livro em 2010 e iniciei outro, que foi A bruxa de Portobello de Paulo Coelho e iniciei A menina que furtava livros.

Kah disse...

Acho que não li nem vinte livros em 2010. Uma vergonha. E acho que desses todos que você leu, só li também Forever Princess, que é um amor. Michael é mesmo apaixonante.
Agora quero muito ler Só Garotos. Mas um pra minha lista.
Beijos, Luh!

Isa disse...

Posso fazer um comentário MUITO idiota?

Pode.

Quando eu li "chabadabadá" eu tive uma crise de riso tão grande e lembrei de uma música do KLB, "xálálálálá como eu quero te amar..."

é, não sou comediante. mas ri muito!

Luiza disse...

Fiquei muito a fim de ler esse livro da Patti Smith! Vou colocá-lo na listinha...E Sangue Frio é minha próxima leitura...comprei pela internet e só estou esperando chegar :)

Anna Vitória disse...

Que gracinha de Luisa lendo todos esses livros técnicos (são técnicos mesmo?)! Me sinto bizarra porque leio esses títulos e fico com vontade mesmo de ler, tenho umas curiosidades meio bizarras e vai entender.
Adorei sua lista, já comentei que quero muito ler o do Mário Prata (e o do Antonio também), mas o da Patti Smith ficou como campeão da curiosidade.
Beijo

Daniele de Andrade disse...

Quero ler A Sangue Frio, me pareceu interessante!

bandofphotos disse...

Eu quero terminar de ler a menina que roubava livros e depois começar a ler o menino do pijama listrado - já vi o filme e é muito triste mas n comprei o livro a toa - pro ano que vem terminar de ler a minha coletanea do Paulo Coelho e comprar o novo dele O Aleph.