23.9.10

Foca de cabeça branca

O Centro de Comunicação e Expressão (letras, cênicas, jornalismo, teatro, cinema e secretariado) tem uma nova Mari Moon. Particularmente, não vou com a cara de pessoas que pintam o cabelo inteiro de cores aleatórias depois dos 15 anos. E pra pintar aquela parte de baixo do cabelo, tem que ter um baita estilo pra sustentar a "atitude". Não quero falar mal de ninguém, a questão é que eu morro só de pensar em alguém pintando o cabelo com tanta frequência por vontade. É inveja da minha parte. Isso porque já tenho mais cabelos brancos que o Bonner e ainda estou no segundo ano da faculdade de jornalismo. Sem contar que meus fios albinos nem formam uma mecha sexy, estão em toda parte.

Os cabelos brancos começaram tímidos do lado direito do couro cabeludo, era fácil escondê-los. Claro que não ouvi minha mãe, as amigas e receitas de internet, ia arrancando todos. Agora estão espalhados, é impossível não exibí-los por aí e nem minha franja é completamente castanha agora. Desculpa, mas não consigo argumentar que cabelos brancos são meu charme ou demonstram minha experiência (qual?). Vivo em crise porque não quero ser obrigada a pintar o cabelo tão nova, sugestão das pessoas mais metidas e do namorado. Minha mãe começou a virar loira aos trinta anos e não quero mesmo ficar refém de químicas e salões de beleza aos dezenove anos.

A pior parte é que o dermatologista, minha última saída, disse que não tinha o que fazer. Não era falta de vitaminas, como uma amiga de ensino médio alardeou, estresse (culpado de tudo nessa vida) e não existem remédios. É sentar, esperar e chorar. Ou torcer para que meu organismo dê um tempo de descolorir meus fios castanhos escuros nos próximos dez anos para que eu comece a pintar as madeixas numa idade aceitável.

p.s.: Isso foi uma tentativa de texto sobre o universo feminino. Talvez o blog me acostumou a escrever só sobre mim. A gente vai continuar tentando.

5 comentários:

Ana Lu disse...

Ei Lu!
Eu ainda não achei nenhum fio branco, mas aqui em casa a coisa é bem dividida. Mamãe foi ter o primeiro fio branco com 40 anos. Papai já tem o cabelo praticamente branco, hahaha. Tomara que eu puxe a mamãe
=]
Beijos

Gabriela Petrucci disse...

Ah, Luh, desencana, eu pinto o cabelos desde os 12 anos.
Comecei com luzes loiras, fazia uma vez por ano. Aos quinze enloirei de vez. Agora tô ruiva e tenho que retocar a tintura a cada quinze dias...

Beijos

Cih disse...

Eu devo achar em breve porque se vc é o Bonner,meu irmão já tá quase como o Cid Moreira e se é genético,bom,eu devo ser a próxima rsrs!
Beijos

Clementine disse...

Luisa,
Escrever sobre o universo feminino ou qualquer outra trivialidade, taí um problema que eu tenho.
Acho que a única vez que tive vontade de pintar o cabelo foi depois de assitir "Brilho eterno de uma mente sem lembranças", a Kate Winslet absolutamente linda com aquele cabelo rosa-alaranjado.
Depois entendi que sou uma relis-mortal e que era melhor honrar com as minhas ideologias de ter um cabelo natural.haha
Um beijo!

Mel disse...

mas e se você se apaixonar por uma cor??? rs... tente o shampoo tonalizante, são ótimos, mas a parte chata é que tem que ficar retocando todo mês.
Ou despreocupe-se.
beijos!