4.2.10

Miami Bitch, o relato

Depois de todos esses dias de pura procrastinação, acho que tá na hora de contar como foi minha viagem aos Estados Unidos. Bem, tudo começou em São Luís mesmo, chegando no aeroporto com horas de antecedência e o atendente dizendo inicialmente que minha passagem estava marcada pra Lisboa. Portugal? Que? Deu tudo certo com o check-in em São Luís. Deu tudo certo no check-in do Rio (apesar do calor terrível, não ligaram o ar-condicionado da sala de embarque dos voos internacionais). Só sei que cheguei em Miami umas 5 horas da manhã, ficamos na fila mais lenta da imigração, pegamos nossas malas e o carro oferecido pelo hotel nos levou embora do aeroporto.


1º dia: O hotel era muito bom considerando o preço que pagamos nas diárias. Sem contar que chegamos antes do horário do check-in e, mesmo assim, nos deram um quarto sem cobrar mais por isso. Nos arrumamos com calma e fomos de ônibus para o Dolphin Mall, um outlet. Detalhe que o ônibus tem um ar-condicionado muito potente. Até o shopping fechar, foi um entra-e-sai louco de lojas. Provei mil roupas, comprei nem tantas assim e totalmente esqueci de que tava precisando de um tênis. Eu e minha irmã compramos mais roupas de inverno pra nos preparar para o frio de NY. Tudo em promoções tão lindas, sinto saudade já...

Finalmente comprei meu moleskine, mas até hoje não terminei de escrever as memórias da viagem nele...

2º dia: Pela manhã, fomos ao Miami Art Museum que fica num centro cultural (em Downtown) junto com a Biblioteca Pública e o Museu Histórico da Flórida. O lugar era muito lindo e bem frequentado (só a gente parecia ser turista). Entramos no museu de arte e visitamos uma exposição de arte contemporânea que valorizava a integração entre a arte e o local da exposição, bem legal! Sem contar que tinha a "galeria dos visitantes" para deixar seus desenhos, brincar de fazer uma escultura, coisas assim. De lá, fomos de ônibus para Miami Beach. Almoçamos rapidinho e fomos para um tour que começava passeando pelas ruas de South Beach e depois mergulhava na água para vermos as casas dos famosos (era um carro híbrido). O guia falava rápido demais e eu cheguei a perder informações inteiras, mas passei pela casa onde Hemingway se matou, pelo restaurante "Bed" que aparece no filme Sex in the City, pela rua que aparece em Miami Ink, etc, etc.

Depois desse passeio, fomos andar por Miami Biach. Essa é a única parte de Miami onde dá pra caminhar (seja por questões de segurança, seja por questão de não ter ruas tão largas). Demos uma olhada na praia (vazia, com uma areia estranha e mar gelaaado), caminhamos pela Ocean Drive (rua que acompanha a praia e que não dá pra ver o mar, porque a vegetação litorânea atrapalha). Na verdade, estávamos procurando uma vista para o estacionamento de cruzeiros que minha irmã descobriu em algum lugar, acabamos dando a volta naquela ponta sul da ilha de Miami Beach e o máximo que vimos foi a Marina que já tínhamos visto com o tour. Andamos tanto que pegamos um ônibus pra voltar pra onde tínhamos saído. Olhamos ainda a Española Way e andamos pela famosa e turística Lincoln Road. Essa rua é cheia de barzinhos e lojas legais. Tem de tudo lá, até show de stand-up comedy. Só demos uma volta, passamos na loja caríssima do Romero Britto (Britto está em todo lugar por Miami, sério), pensamos em ir ao cinema, mas estávamos muito cansadas e resolvemos voltar pro hotel.

Miami beach: a areia é muito grossa e esfoliante, bem difícil andar nela. Achei estranho.

3º dia: Nossa programação era visitar o Design District (influência da minha irmã, estudante de Desenho Industrial, é óbvio) e à tarde ir pro Coconut Groove, onde ficaríamos até à noite. Mas no dia anterior, entramos num lugar de informação turística pra perguntar sobre restaurantes e acabamos saindo de lá comprando um citytour, já que minha irmã tinha ficado meio decepcionada com aquele do carro híbrido. Tudo bem, o citytour que compramos acabou sendo o FAIL da nossa viagem. 10 horas da manhã estávamos no lugar marcado pro ônibus nos pegar e ele simplesmente não apareceu. Ligamos para a empresa e o motorista disse que foi lá e não nos viu. AHAM. O tour foi adiado para a tarde e resolvemos passear por Downtown, já que estávamos perto de prédios bonitos, da American Airlines Arena, de um centro cultural e da sede do The Miami Herald. Bom, fizemos uma baita volta na avenida onde estávamos e quando já estávamos voltando, percebi que tinha perdido meus óculos de grau. FAIL again. Refizemos todo o caminho... e quando estávamos do outro lado da avenida em relação ao lugar onde percebi estar sem o óculos (demos uma volta imensa, não só atravessamos a rua), vi um vulto roxo no chão e, tcharam, era ele!

Corremos pra almoçar e pegar o ônibus do tour, que simplesmente atrasou mais de meia hora. E começou a chover. E descobrimos que o guia era muuito chato. E que o tour foi uma furada porque não, ele não parava nos lugares pra gente conhecer e tirar foto. Acabou que eu fiquei morrendo de sono e pesquei caranguejo a viagem inteira em vez de olhar de relance alguns bairros turísticos. Só fizemos uma parada: em Little Havana, que é horrível. Não tinha nada pra fazer e ainda tava chovendo e fazendo frio. Tomamos só um café e voltamos pro tour, que logo acabou. Ainda tínhamos direito a um passeio de barco pra ver o Millionaire's Row (sim, de novo), mas achamos melhor não arriscar com aquele tempo horrível e depois de tudo ter dado tão errado. Vai que aquele barco vira, né? Ficamos ali por aquela mesma avenida do começo do dia e passeamos por um shopping legal. Achamos moletons lindos por 5 dólares na promoção (!!!), olhamos vitrines, o hard rock café, etc... Pensamos em fazer algo à noite como ir ao cinema em Miami Beach. Só que todos nossos planos de última hora tinham dado errado. Melhor não arriscar, né? Voltamos pra casa, passamos no Taco Bell e compramos 2 burritos e 3 tacos (cada uma) pra nos empanturrarmos pelo dia ruim.

Muitos prédios bonitos em Downtown. Esse amarelo é super antigo e lá funciona uma faculdade.
No outro dia, acordamos cedo, fechamos a mala e voltamos pro aeroporto internacional de Miami (já tô ficando enjoada daquele lugar, sério) e pegamos nosso voo até NY. Tivemos um probleminha com o peso das malas, mas nada que malas de 10 dólares não resolvessem. Deu tudo certo e seguimos pra cidade que nunca dorme!

Conclusões: Dá SIM pra fazer turismo em Miami sem ir lá só pra comprar. Lá tem realmente as melhores promoções do mundo (não que eu seja assim tão viajada) e você vai voltar pro Brasil sem querer comprar roupa nenhuma, achando tudo muito caro, mas.... Lá tem bairros que super vale à pena conhecer. Como Miami Beach (que, na verdade, é uma cidade), Downtown, Coral Gables, Coconut Groove e muito mais. Sem contar que Miami é a cidade da arte, talvez por isso tenha tanto Romero Britto por lá. Mas se você gosta de arte contemporânea, o que não vai faltar é museu! Lá não tem metrô e o trem de superfície só existe em alguns pontos da cidade, mas andar de ônibus é super tranquilo (além de fresquinho). E, definitivamente, Miami é a cidade com maior número de palmeiras por metro quadrado.

12 comentários:

Luiza disse...

Que legal, Luh! Acompanhei seus dias em Miami pelo twitter, mas foi legal ler agora tudo com mais detalhes! As fotos estão lindas! Agora quero ver o post sobre NY, hein :D
Ah, adoooro Moleskine! *-*
beijo!

Anna disse...

Mas vocês andam, hein? Fico cansada só de imaginar andar esse tempo por esse tempão. Moletom por 5 dólares? Eu quero!!! Sou rata de promoção, haha! Adorei esses óculos de armação branca <3
Quero saber de NY!
beijos

Nathy disse...

Que vontade que me deu de viajar!

Ana Lu disse...

Ahh, que legal..
Muita vontade ir pra Miami pra fazer turismo lá, pq qdo fui, passei 1 dia só e depois já fui pra Orlandoo.

Lorenna disse...

Isso do ônibus já aconteceu comigo uma vez também. Pagamos e ficamos na merda e esperando no frio! heuheuheu odeio essas coisas.
Enfim, adoro posts/fotos/tudo de viagens *-*

Lu disse...

Realmente parece que tem muita coisa para ser feita em Miami! =)
chiquérrimo, hein? Adorei as fotos!
Quando fui lá foi tão rápido que só me lembro da praia (fomos de jeans também e só tiramos o tênis para poder colocar os pexinhos na água) e das mansões chiques que ficamos observando das janelas do busão.
Beijos

Luis disse...

Luisa, que é isso? A última vez que passei por aqui estava tudo branquinho... O novo visual ficou lindão!

Bom, agora vamos ao post... hahaha. Que demais a viagem! Se eu fosse para os EUA, conheceria a Flórida ou... Miami! Parece demais.
As fotos ficaram lindas.

Ah, quanto você pagou pelo Mole? O meu foi bem carinho (comprei por aqui mesmo).

Beijo.

Alice Voll disse...

Ai que tudo, cara!
Eu amo viajar, acho que é uma das melhores coisas que a gente faz na vida!
Toda vez eu penso que vou pagar excesso de bagagem e bate na lata, sorte!snsajinsa
Adorei o prédio amarelo!
Quero as fotos de NYYYYYYYYYYYYYYYY!

Verônica disse...

Aihnnn...queria tanto ver neve ao vivo =/

Adorei as fotos ^^

bom fds!

Estratégia Digital disse...

Segue outra sugestão de leitura sobre miami...

http://www.iplan2go.com.br/blog/destinos-exterior/conheca-miami

MEL disse...

Um amigo meu vai fazer uma viagem para Miami em março e perguntou se eu quero alguma coisa de lá.
O que vale a pena comprar?
beijos!

Lusinha disse...

De verdade, deu vontade de conhecer lá depois desse seu post. ;)
Bjitos!