16.2.10

Valentine's deception

Nem lembro há quanto tempo estava ansiosa pra assistir Valentine's Day (Idas e Vindas do Amor). Estreou aqui na Jamaica no dia 14, obviamente, e fomos assistir hoje. A promoção da segunda é que a cada ingresso que você compra, ganha outro de graça. Isso realmente devia existir no Brasil.

Mas, sabe, Julia Roberts. Jessica Alba. Bradley Cooper. Eric Dane. Ashton Kutcher. Topher Grace. Jennifer Garner. E Anne Hathaway. Não tinha motivo suficiente pra achar que o filme seria ótimo? Sem contar que eu senti uma vibe de Closer quando assisti ao trailer. Só eu fiz essa conexão? Porque, bem, um não tem nada a ver com o outro. Valentine's Day é um filme bestinha, com um roteiro mais ou menos e histórias fracas. Claro que o longa conta com ótimas cenas. Sorri, senti pena, fiquei boba com romance alheio (e falso). Mas nenhum personagem me marcou, nenhuma história me marcou, nenhum final foi tão bom assim. Ok, dois personagens tiveram um final totalmente inesperado que eu não vou contar aqui, maaas foi tão chocante que todas as jamaicanas (e alguns jamaicanos também) ficaram tão eufóricos, gritaram tanto que eu perdi boa parte da cena seguinte. Só não conto aqui porque sei que sou a única pessoa do mundo que realmente não se importa com spoilers. Ah! O filme tem um narrador aleatório que só aparece no início e no fim. Um narrador com uma voz chata. E pra mim esse longa não combina com narrador onipresente. Quer ver um narrador que deu certo? Assista 500 dias com ela.

Idas e Vindas do Amor é um filme fraco. E o superestimei também. Tudo bem, essas decepções cinematográficas não são tão incomuns. Só saí surtada do cinema porque o maldito microfone dos atores (aquele que fica pendurado) aparece três vezes. Em três cenas. Na casa dos avós. No aeroporto. E na cena final. Que estagiário ficou encarregado de editar o filme às pressas pra ele sair a tempo do dia 14 de fevereiro? Realmente não dá pra entender. A única teoria que faz nexo na minha cabeça é que venderam uma versão de custo mais baixo pros cinemas jamaicanos e a edição ainda não tava perfeita. Só pode ser isso. Não vejo a hora do filme estrear no Brasil para vocês me dizerem se os microfones aparecem.

+ Quer saber como foi minha primeira experiência no cinema jamaicano? Veja aqui!

p.s.: O que o diretor do filme tem contra a Taylor Swift? Porque o papel dela é sinônimo de "Como pegar raivinha de Taylor Swift em 1 passo".
p.p.s.: As propagandas, o hino e os trailers passaram tão rápido dessa vez. Lembrava de serem bem mais demorados.

14 comentários:

Deyse Batista disse...

Juro que na hora que você começou a falar mal do filme eu pensei logo na teoria da versão de custo mais baixo. Me senti péssima por isso - deu um ar de superioridade do Brasil sobre a Jamaica, coisa mais ridícula. Enfim, superado isso, eu ainda não acredito! Sério, eu estou/estava louca pra assistir esse filme, uma decepção desse tamanho é o tipo de coisa que só se acredita vendo. Vou tratar de assistir aí e dizer o que achei.
Ah!, você falou em 500 days... Na minha opinião, um dos melhores filmes de todos os tempos, hm? Zooye... Todo o elenco, a trilha sonora, ain <3

ps.: Não gosto da Swift. Pelo menos com relação a isso o filme deve me agradar, haha.

Beijos.

Luiza disse...

Ai, ODEIO quando encontro microfones em filmes e seriados. Parece tanto que eles fizeram de qqr jeito! Dá uma raiva! Quanto ao filme, tô meio por fora da história, só me empolguei por causa do elenco...agora que vc falou que ele é meio bobo, deu uma desanimada. De qqr forma, vou assistir e te falo se encontro os microfones ou não :P
beijo!

wesley iogi disse...

Oi luisa é minha primeira vez aqui.. sobre o filme, vou aguardar de qualquer forma, quero ver.

Sobre o lance da promoção nos cinemas nas segundas... em são paulo pelos menos.. segunda em vários cinemas é preço promocional.. 50% off.. alguns mais alternativos tem promoçao de terça.. as vezes até 70% off.. sem falar que temos muitas sessoes gratuitas em sampa... não só cinema.. teatro.. exposições.. etc..

gostei do blog... venho mais vezes..
abr

Ana Lu disse...

Ahh, eu tava louca pra ver esse filme!
To doida pra saber qm eh o casal do final inesperado
ahahaa
Beijoss

Luis disse...

Eu quero assistir esse filme, mas não quero "daquele" jeito, sabe? Mesmo tendo muitos atores bons (ah, Jennifer Garner... *suspiros*) e outros que não gosto muito, mas ainda assim considerados bons (ah, Ashton Kutcher... *baforadas*), já esperava por uma crítica assim. A maioria desses filmes são um pouco superficiais na questão do relacionamento. É por isso que considero drama como drama.

Quanto à promoção da Jamaica, meu deus!, que fantástico. É tão revoltante saber que pessoas consideram esses países pequenos. Olha só como a cultura é tratada e olha a alegria dessa gente. Eu acho isso tocante, de verdade.

Ah, Luisa, te linkei no meu blog. Cada vez que venho aqui acho as postagens ainda mais gostosas.

Beijo.

Luis disse...

Esqueci de comentar sobre o filme que eu indiquei pra Irena: "Educação". O diretor se chama Lone Scherfig.

Depois dá uma olhada no trailer pra ver se te dá vontade de assistir.

(:

Thamy disse...

O filme me parecei meio chatinho quando vi o trailer, mas como todo mundo queria assistir eu é que não ia levantar a bandeira do contra. E eu gosto da narração de 500 days with summer, no maior estilo pushing daisies, já assistiu?

Ellen Melo disse...

Como você falou "decepções cinematográficas não são tão incomuns".. Haha. Também estou esperando um bom filme, com tantos nomes bons, não é possível que seja fraco. Só vendo né? Haha, adorei sua resenha. :D

Alice Voll disse...

eu QUERO muito ver esse filme, verei semana que vem!
eu não senti uma vibe 'closer' nos trailler.
Depois que eu assisti te conto o que achei!

Nathy disse...

Já falei pra vc parar de assistir filme que eu quero ver e não lançou aqui ainda! haha. Gostei dessa de comprar um ingresso e ganhar outro. Acredito que o Brasil tá bem longe disso, viu! =/

Anna, disse...

Lembrei de quando fui ver "Ele não está tão afim de você". Não que eu esperasse muito do filme, mas o elenco era bom, imaginei que o filme fosse, no mínimo, razoável. Pois foi aí que me enganei; achei péssimo, horrível. Odiei mesmo.
Aqui num shopping de porto alegre tem uma promoção parecida. Quando chega perto do dia dos namorados, se tu comprar um ingresso e beijar teu namorado/tua namorada ali, tu ganha outro. Já é um avanço, né :)
beijos!

Tary disse...

Oie! Que pena, Luh! Eu estava mega empolgada para ver o filme exatamente por causa do elenco! E sério que estragam a Taylor? Eu acho ela tão fofa! Vou acabar vendo - não no cinema - e tirando minhas conclusões. Mas não fiz conexão com Closer não! Closer pra mim é filmão e sempre vi Idas e Vindas como uma comédia romântica pra alegrar o dia.
É, sou louca mesmo e já vi Um amor para recordar quase 50 vezes. Coisas de fã. Hahaha!
Beijos!

Luiza Barros disse...

Ah, eu sempre me decepciono com filmes. Mas afinal, a culpa é de quem por criar tantas expectativas? Enfim, estava super ansiosa para ver esse filme. Ainda vou ver por causa do elenco, mas com bem menos empolgação. :)

Mel disse...

Lú, bom saber, porque eu estava pensando em assistir o filme. Também o associei à Closer... vou esperar sair em DVD, então.
Já 500 dias com ela... estou apaixonada pelo filme, que delicado!!!! Que lindo! E a Zooey é boa mesmo, né? Super natural em cena - gosto disso. Ah, e alguém já tinha me dito a respeito dos microfones... esquisito, né???
Beijos!