7.12.10

Disturbing the sound of silence

And in naked light I saw
two thousand people, maybe more.
People talking without speaking,
people hearing without listening.
People writing songs that voices neve share.

Semestre acabou (ignoremos o infográfico que vou apresentar amanhã e provavelmente terei várias correções para fazer) e só hoje vim mudar a cara do blog e voltar a dar as caras.

Meu início de férias se resume a alguns flashs. Chegar em casa e não saber o que fazer. Ir na BU pegar livros de literatura e sair de lá com De amor e de sombra da Isabel Allende (romance entre jornalistas é o que eu quero ler agora) e um aleatório com fotos bonitas do Maranhão. Isso depois de ler - de verdade - a minha primeira poesia de Ferreira Gullar, shame on me. Balada na sexta-feira tocando não só Lisztomania, como Bring me to life (???), sendo que Evanescence era minha banda preferida aos catorze anos, e Superafim, lá pelos dezesseis eu escutava Cansei de Ser Sexy. Festa do curso, churrasco de aniversário, ops, não parei o final de semana em casa. "Acha que tá na hora de tirar minha barba?".

Isso porque constatei na última semana que minha música preferida da trilha sonora de The Graduate é The Sound of Silence e não Mrs. Robinson, apesar de ser a personagem que mais gosto. Daí o filme volta a ser tema do blog e eu prometo que nessas férias assisto pela terceira vez. Sozinha dessa vez, sabe como é.


p.s.: Como eu nunca tinha achado essa imagem antes?

2 comentários:

Anna disse...

Invejinha das suas férias e dessa balada que toca Phoenix e Cansei de Ser Sexy (ultra guilty pleasure)!
Aproveite muito muito muito Isabel Allende, fotos do Maranhão e Mrs. Robinson. A foto do layout tá sensacional!
Eu assisti esse filme depois de você falar muito dele, haha, e é por causa dele que perdi minha birra do Dustin Hoffman.
beijocas

Natália disse...

Não saber o que fazer nas férias é tão bom do que ter muita coisa para fazer no resto do ano. Beijo